DRaaS

Data centers locais, servidores físicos e os desastres naturais

Um ciclone num campo aberto

Desastres de causas naturais são imprevisíveis e, por muitas vezes altamente destrutivos. Esteja preparado e saiba como resistir a essas situações.

Tsunami, furacão, fortes chuvas são ameaças constantes à estabilidade dos negócios. Estudos atestam que empresas que sofrem perdas de dados por causa de desastre, 43% nunca reabrem e 51% fecham no período de dois anos.

Mesmo diante desses riscos, muitas companhias insistem em se apoiar em data centers locais, com muitos softwares instalados e operados por servidores físicos dentro do próprio ambiente de trabalho. Diante de incidentes inesperados da natureza ou incêndios, esse ambiente pode ser severamente afetado e provocar a perda de todos os dados corporativos.

Como me restabelecer?

O desastre aconteceu. E agora? Se um desastre ocorreu, é hora de começar a resposta ao incidente. Certificar-se de que a equipe de resposta a incidentes tenha uma cópia do plano de recuperação de desastre.

A resposta a incidentes envolve avaliar a situação (saber qual hardware, software, sistemas foram afetados pelo desastre), recuperação dos sistemas e acompanhamento (o que funcionou, o que não funcionou, o que pode ser melhorado).

Nesse panorama, a nuvem se apresenta como alternativa ideal e abrigo seguro por meio de serviço prático, simples, econômico e flexível como DRaaS – Recuperação de Desastre como Serviço.

O impacto é agressivo e real, incapacitando as empresas de reverterem o quadro em tempo hábil de proporcionar a sobrevivência do negócio quando não estão preparadas para vencer o caos.

É possível se preparar para desastres. O UOL DIVEO com o serviço DRaaS vai te dar suporte na prevenção e restabelecimento do seu negócio.

Fale com um especialista